85% das obras no Aeroporto de Salvador já estão concluídas

85% das obras no Aeroporto de Salvador já estão concluídas

Faltando 100 dias para terminar o prazo previsto em Contrato de Concessão, intervenções seguem em ritmo acelerado e primeira fase será entregue no dia 31 de outubro
 
 
Uma boa notícia para os baianos, turistas e a economia do estado. Faltando 100 dias para o fim do prazo estabelecido pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para conclusão da primeira fase das obras de modernização e ampliação do Salvador Bahia Airport, integrante da rede VINCI Airports, 85% das intervenções previstas no Contrato de Concessão já foram realizadas.


Iniciadas em abril de 2018, as obras se dividem em duas fases. A primeira, chamada de 1B, está em execução e será entregue no dia 31 de outubro. Com andamento já elogiado publicamente pelo Secretário Nacional de Aviação Civil, Ronei Saggioro Glanzmann, e cerimônia de inauguração prevista para dezembro, essa fase contempla 90% das intervenções constantes no Contrato.


Entre elas, estão a expansão do terminal de passageiros em 22.000 m², melhorias nos sistemas de refrigeração e iluminação, ampliação do pátio de aeronaves, implantação de novas pontes de embarque, requalificação das pistas de pouso e decolagem, instalação de wi-fi gratuito e de alta velocidade, modernização de banheiros e fraldários, nova área para os balcões de vendas das companhias aéreas, check-ins em novo layout, entre outras.


Após a conclusão dessa etapa, inicia-se uma nova fase, chamada de 1C, no dia 1º de novembro e segue até 31 de outubro de 2021. Nesse momento, serão realizadas ampliação e retrofit da praça de alimentação, instalação de novas pontes de embarque e implantação de novas posições de check-in.


Todas as obras realizadas visam oferecer aos passageiros um aeroporto mais moderno, seguro e funcional. Não serão mudanças significativas do ponto de vista estético, mas que pretendem impactar positivamente na otimização das operações, trazer mais agilidade, conforto e segurança, além de proporcionar uma melhor experiência ao usuário.


Uma prova disso é que a empresa que administra o terminal realiza, nas duas fases, melhorias além das estabelecidas pela Anac. Entre essas intervenções não previstas no Contrato de Concessão, estão a substituição da iluminação convencional por LED em todo o terminal, instalação de novo sistema de detecção e combate a incêndio, de nova Estação de Tratamento de Efluentes, de Central de Resíduos Sólidos, modernização de todas as subestações de energia com a construção de uma nova central de geração, entre outros.


Entenda abaixo o andamento das obras:


Em execução


•    Expansão do terminal de passageiros em 22 mil m²;
•    Modernização de banheiros e fraldários;
•    Reforma de 9 conjuntos de sanitários e bebedouros e construção de 15 novos conjuntos climatizados (4 já entregues);
•    Instalação de um novo sistema de manuseio de bagagem e controle de segurança;
•    Ampliação do pátio de aeronaves;
•    Requalificação da pista principal (10/28);
•    Melhorias no sistema de refrigeração/ventilação;
•    Novo sistema de detecção e combate a incêndio (não previsto no Contrato de Concessão); 
•    Implantação de nova Central de Resíduos Sólidos e de sistema de água de reuso (não previsto no Contrato de Concessão); 
•    Construção de novo píer, com 6 novas pontes de embarque; 
•    Construção de uma usina solar para abastecer o aeroporto com capacidade equivalente a de até 58 mil residências (não previsto no Contrato de Concessão)

 
Entregue

 
•    Reforma e melhoria da pista auxiliar (17/35) e das taxiways;
•    Reforma de todas as subestações de energia com painéis modernos e automáticos e aquisição de novos grupos geradores, trazendo mais confiabilidade ao sistema (não prevista no Contrato de Concessão);
•    Nova área de escritórios e balcões de vendas das companhias aéreas e 60% do check-in em novo layout;
•    Estação de Tratamento de Efluentes modulável e com 99,5% de eficiência (não prevista no Contrato de Concessão);
•    Troca de iluminação convencional por LED em todas as áreas já reformadas (não prevista no Contrato de Concessão);
•    6 novos elevadores e 6 novas escadas rolantes (até o final, serão respectivamente 11 e 9);
•    Instalação de wi-fi gratuito e de alta velocidade;
•    Instalação de 2km de tubulação para os sistemas de refrigeração/ventilação, com a construção de nova central de água gelada


Previsto para a fase 1C


•    Ampliação e retrofit da Praça de Alimentação (não prevista no Contrato de Concessão);
•    Instalação de 2 novas pontes de embarque;
•    Instalação de mais 10 posições de check-in;
•    Instalação de mais 3 equipamentos de raio-x no embarque doméstico e outros três no embarque internacional;
•    Instalação de um carrossel de bagagens adicional no desembarque doméstico e substituição de outro no desembarque internacional


Sobre o Salvador Bahia Airport


Localizado na capital baiana e primeira capital brasileira, o Salvador Bahia Airport está na lista dos dez aeroportos mais movimentados do país. Durante o ano de 2018, mais de 8 milhões de passageiros viajaram pelo terminal para cerca de 30 destinos com ligação direta, entre domésticos e internacionais.


O Salvador Bahia Airport foi integrado à rede VINCI Airports em 2 de janeiro de 2018, através de um Contrato de Concessão com duração até 2047. Visando oferecer uma melhor experiência aos seus passageiros e um melhor serviço às companhias aéreas, a VINCI Airports deu início a um ambicioso plano de investimentos para modernizar e ampliar o aeroporto. A primeira fase das obras, que inclui a construção de uma nova área de 22.000 m² e a remodelação do terminal existente, estará concluída em outubro de 2019.


Sobre a VINCI Airports


A VINCI Airports, como a maior operadora privada de aeroportos no mundo, gerencia o desenvolvimento e as operações de 46 aeroportos localizados na França, em Portugal, no Reino Unido, na Suécia, Sérvia, no Camboja, no Japão, nos Estados Unidos, na República Dominicana, na Costa Rica, no Chile e no Brasil. Atendida por cerca de 250 companhias aéreas, a rede VINCI Airports transportou 240 milhões de passageiros em 2018.


Por meio de sua expertise como um integrador abrangente, a VINCI Airports desenvolve, financia, constrói e opera aeroportos, aproveitando sua capacidade de investimento, network internacional e know-how para otimizar a gestão e o desempenho das infraestruturas aeroportuárias existentes, suas extensões e projetos de novas construções. Em 2018, sua receita anual para atividades geridas foi de 3,6 bilhões de euros e de 1,6 bilhão de euros para receita consolidada.  Mais informações estão disponíveis em www.vinci-airports.com ou www.salvador-airport.com.br.